Alta Ansiedade = Baixo Desempenho

Nesta semana falaremos sobre uma das emoções que mais influenciam os operadores do mercado financeiro: a ansiedade.

Este sentimento é essencial para um bom desempenho, quando na medida correta e desastroso quando em excesso. No livro “Inteligência Emocional”, o autor e psicólogo Daniel Goleman explicita como a ansiedade nos afeta. Ele exemplifica como a ansiedade decorrente do excesso de preocupação prejudica o intelecto.

Segundo o autor, controladores de tráfego aéreo quando tomados por alta ansiedade crônica (longa duração) ainda no treinamento, é previsão quase certa de fracasso na profissão. A analogia para o cenário do mercado de financeiro é certa, principalmente, no caso de daytraders, situação onde ansiosos também possuem maior probabilidade de falhar.

O principal combustível da ansiedade é a preocupação excessiva. Esta diminui o desempenho, já que os recursos mentais despendidos no ato de “se preocupar” mina as energias intelectuais necessárias para cumprir a tarefa com eficácia. Ou seja, a preocupação excessiva em acertar a operação pode estar inviabilizando o cumprimento do seu objetivo. Pense nisso!

Por fim, é interessante saber que a curva “ansiedade x desempenho” apontada pela literatura clássica em psicologia aponta o desenho como um “U” invertido.

Assim, um grande rendimento envolve uma dose baixa de ansiedade, chamada de “ansiedade antecipatória”. É este sentimento de euforia branda que nos faz querer sair da cama e encarar nossas tarefas com entusiasmo, elevando o estado de espírito. Um estado de completa falta de ansiedade faz com que a pessoa se torne apática frente aos desafios.

O que precisamos sempre é focar no equilíbrio da ansiedade!

Caso você tenha dúvidas ou queira saber mais, deixe nos comentários.

Assim, podemos tratar mais deste, e de outros assuntos, de forma mais completa e detalhada.

@psicologiafinanceira te deseja uma ansiedade equilibrada e uma mente cada dia mais positiva!

Billions e Meditação

Você já assistiu Billions”?

Esta aclamada série da “Showtime” estreada em 2016 ganhou destaque por ter como contexto principal, o concorrido Mercado Financeiro americano. A trama gira em torno do procurador de justiça, Chuck Rhodes (Paul Giamatti) e o brilhante gestor de um fundo bilionário, Bobby “Axe” Axelrod (Damian Lewis). Apesar de rivais, ambos são reconhecidamente os melhores em suas respectivas profissões. Outro ponto em comum aos dois aparece já no primeiro episódio da série: ambos são praticantes de meditação. Diversas modalidades meditativas ganham adeptos a cada dia, principalmente no mundo corporativo.

Não é por acaso que essa prática foi mostrada na série. Em entrevista à rede “ABC News”, Brian Koppelman relatou que ele e os outros dois produtores da série praticam meditação duas vezes ao dia. Segundo ele, um dos maiores benefícios dessa atividade é a redução drástica dos níveis de ansiedade e, consequentemente, o ganho de foco e energia para realizar as tarefas de forma mais eficaz.

Existem várias modalidades e tradições meditativas. Hoje vamos falar sobre a prática “Mindfulness” (Atenção Plena). Criada pelo Prof. da Universidade do Massachusetts, Jon Kabat-Zinn, a meditação mindfulness se diferencia por divergir do contexto religioso, ou seja, apresenta-se como uma ferramenta de melhoramento de performance aplicada a qualquer pessoa, independente da religião ou sistema de crenças do praticante.

Atualmente já existem psicoterapias, como a Terapia Cognitiva-Comportamental, que associam o mindfulness como ferramenta de promoção de mudanças positivas. Entre os benefícios da prática diária descritos na literatura científica estão: diminuição dos níveis de stress e ansiedade, aumento de atenção e foco em tarefas, redução de pensamentos negativos, entre outros. A sensação de “estar presente” e viver integralmente o momento presente é extraordinária.

No mercado financeiro, onde ter equilíbrio emocional é fundamental, os benefícios são notáveis. Pense no ganho para os “Day Traders”, os quais necessitam de atenção plena durante as operações. Também àqueles que necessitam reorganizar e replanejar as economias pessoais, fase que requer alto nível de comprometimento e controle emocional para suportar algumas privações.

E você? Como anda seu emocional?

Comente se já conhece alguma prática. Fale sobre os principais limitantes da sua performance. Deixe suas dúvidas e sugestões para os próximos textos. Obrigado e bons trades! Celso Sant’Ana

 

Rolar para cima